Tel.: (11) 3149-5190 | 0800-773-9973

logo home

mieloma multiplo

Data de criação: 11 Abril 2016

Tratamento - MM

Consultoria Dr. Bernardo Garicochea

Nos últimos dez anos, a medicina avançou muito e descobriu vários novos tratamentos que têm apresentado bons resultados.

Ele é indicado para os pacientes diagnosticados com o mieloma múltiplo sintomático, e objetiva combater as células doentes, aliviar o mal-estar e possibilitar uma vida normal e, claro, a remissão da doença.

 

qt1

Quimioterapia

Este é o tratamento mais utilizado. Vários medicamentos extremamente potentes no combate ao câncer são utilizados com o objetivo de destruir, controlar ou inibir o crescimento das células doentes. São eles:

· Bortezonibe

· Carmustina

· Ciclofosfamida

· Doxorrubicina

· Etoposíde

· Melfalano

· Vincristina

· Vinorelbine

Sua administração é feita em ciclos, com um período de tratamento, seguido por um período de descanso, para permitir ao corpo um momento de recuperação, e o uso de cateteres geralmente é necessário. Saiba como cuidar de seu cateter

Alguns efeitos colaterais podem surgir, como enjoo, diarreia, obstipação, alteração no paladar, boca seca, feridas na boca e dificuldade para engolir. Mas saiba que existem alternativas para amenizá-los. A nutrição é uma importante aliada na melhora de cada um deles, e por isso a Abrale fez uma seleção de alimentos que vão te ajudar bastante neste momento.   

A queda de cabelo também costuma acontecer, pois a quimioterapia atinge as células malignas e também as saudáveis, em especial as que se multiplicam com mais rapidez, como os folículos pilosos, responsáveis pelo crescimento dos cabelos. Nessa fase, busque por alternativas como lenços, bonés, chapéus ou perucas, caso se sinta mais à vontade.

A imunidade baixa, comum a esta fase do tratamento, pode facilitar o surgimento das infecções. A febre é o aviso de que um processo infeccioso está começando, então não deixe de procurar seu médico. Se for necessário, medicamentos serão administrados.

Mas com pequenos cuidados, como lavar as mãos com frequência, você pode evitar que essas temidas infecções apareçam. Veja outras dicas

Também são utilizados medicamentos como terapia de suporte, que objetivam controlar ou inibir o surgimento de infecções, amenizar os efeitos colaterais da quimioterapia e melhorar a qualidade de vida do paciente em tratamento. Os principais são:

· Aciclovir

· Alfaepoetina

· Alopurinol

· Caspofungina

· Dexametasona

· Enoxaparin

· Filgrastim

· Levofloxacina

· Metilpredinisolona

· Mesna

· Mercaptopurina

· Sulfametoxazol

· Trimetoprima

· Voriconazol

**Todos estes medicamentos estão aprovados pela Anvisa, mas somente o Bortezomibe não é distribuído gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS).

A Abrale oferece gratuitamente Apoio Jurídico a todos os pacientes do Brasil. Se você está enfrentando alguma dificuldade em seu tratamento, não hesite em nos contatar!

 

Imunoterapia

As células cancerígenas são muito espertas e, por crescerem de forma rápida e descontrolada, podem enganar o sistema imunológico, para que ele não as veja como uma ameaça ao desligar a resposta imune ou parar as funções imunológicas que poderiam destruí-las. Com isso, a imunoterapia faz com que o próprio sistema imunológico reconheça as células doentes e as ataque.

Aqui, os medicamentos ajudam o próprio sistema imunológico do paciente a combater as células com câncer. Eles são aplicados via intravenosa, e podem apresentar efeitos colaterais como prurido, calafrios, febre, náuseas, erupções cutâneas, fadiga e dores de cabeça.

Para os pacientes de mieloma múltiplo são utilizados talidomida e lenalidomida, que são conhecidos como agentes imunomoduladores. Também já existem: Pomalidomide, Ixazomib, Elotuzumabe, Daratumumab e Carfilzomib.

**De todos estes medicamentos, apenas a Talidomida está aprovada no Brasil e é distribuída pelo Sistema Único de Saúde (SUS).  

A Abrale oferece gratuitamente Apoio Jurídico a todos os pacientes do Brasil. Se você está enfrentando alguma dificuldade em seu tratamento, não hesite em nos contatar!

 

Inibidor histona deacetilase

Este é um grupo de medicamentos que podem afetar os genes ativos no interior das células, por meio da interação com as proteínas denominadas histonas. O Panabinostat é um medicamento que tem essa função e foi aprovado nos Estados Unidos para pacientes com mieloma múltiplo que tiveram recaída da doença, após terem utilizado duas linhas de tratamentos anteriores, em combinação com bortezomibe e dexametasona.

No Brasil, ainda não foi aprovado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária).

 

Bifosfonatos

Como vimos em Sintomas, o mieloma múltiplo pode provocar enfraquecimento e fraturas dos ossos. Estes medicamentos podem ajudar os ossos a se manterem fortes, já que diminuem a velocidade desse processo.

Converse com seu médico a respeito e veja se essa é uma boa indicação para você!

 

Radioterapia

Por meio de radiações ionizantes, ela tem o objetivo de destruir ou inibir o crescimento das células anormais que formam um tumor, e servirá apenas para controlar a dor óssea que alguns pacientes sentem em decorrência da doença.

Os efeitos colaterais costumam ser leves, se comparados aos da quimio. Os mais comuns são vermelhidão na parte que irá receber a radiação. Saiba como cuidar de sua pele

 

Transplante de medula óssea

Também chamado por transplante de células-tronco hematopoéticas, é uma ferramenta importante no controle da doença, especialmente em casos em que o mieloma múltiplo parece ter desenvolvimento mais rápido. O médico é quem avaliará se o paciente precisa deste procedimento.

Geralmente o transplante autólogo (quando a medula vem do próprio paciente) é a opção mais utilizada. Mas, em casos raros, a opção do transplante alogênico (a medula vem de outra pessoa) pode ser considerada.

Para saber mais sobre o transplante de medula óssea, clique aqui



 

Vídeos de Mieloma Múltiplo

Depoimentos de Mieloma

  • Minha história começou em julho de 2010. Quando ao fazer exames de rotina, um doppler da carótida, foi encontrado um nódulo na tireóide. Que após uma biopsia foi constatado um carcinoma papilifero.Fiz cirurgia para retirada da tireóide no Hospital 9 de Julho com Dr. Vergilius J.F. Filho, tratamento seguido por sessão de iodoterapia, e minha doença foi sanada.Em novembro de 2011 fazendo meu exame anual de próstata, o medico notou no toque, o lado esquerdo da próstata um pouco duro, mas como o PSA e Ultrassom estavam normais ele pediu para voltar após 40 dias com novos exames. No meu Leia mais
    Minha história começou em julho de 2010. Quando ao fazer exames de rotina, um doppler da carótida, foi encontrado um nódulo na tireóide. Que após uma biopsia foi constatado um carcinoma papilifero.Fiz cirurgia para retirada da tireóide no Hospital 9 de Julho com Dr. Vergilius J.F. Filho, tratamento seguido por sessão de iodoterapia, e minha doença foi sanada.Em novembro de 2011 fazendo meu exame anual de próstata, o medico notou no toque, o lado esquerdo da próstata um pouco duro, mas como o PSA e Ultrassom estavam normais ele pediu para voltar após 40 dias com novos exames. No meu retorno, mais uma vez o resultado de PSA e Ultrassom estavam normais, e a próstata continuava dura, então foi pedida uma biopsia onde foi constatado um adenocarcinoma na próstata bem no início. Minha cirurgia já estava marcada, quando meu filho André, medico, fazendo residência de cirurgia geral,me disse a respeito da cirurgia Robótica, método preciso e menos agressivo. Lá fomos nós eu, Angelina minha mulher e Andre para a consulta. O médico jovem porém muito competente, Dr. Carlo Passerotti chefe do Instituto da próstata no Hospital Osvaldo Cruz. Diante dele na consulta eu minha mulher e meu filho começamos a ouvir as explicações do Dr. Passerotti com as vantagens da cirurgia Robótica onde no final acabei optando por ela, fui operado em fevereiro de 2012. A recuperação foi rápida e a cirurgia nota 10. E novamente eu estava bem e agradecido pela cura da minha doença.Em maio de 2012 apareceu uma herpes de zoster seguida de dores no corpo. Quando depois de procurar tratamentos sem sucesso, minha mulher me levou a Reumatologista Drª Elaine Azevedo, que após pedir alguns exames juntamente com meu filho, foi constatada uma anemia acentuada sem razão. Após a solicitação de novos exames, foi constatado um Mieloma Múltiplo. E eu mais uma vez segui, orientado pelo meu filho e pela minha Reumatologista, a um oncologista na área de hematologia do Hospital Sírio e Libanês com consulta já previamente marcada pelo meu filho. E eu, mais uma vez, me encontrava doente e ainda com duas costelas quebradas com o enfraquecimento dos ossos devido ao câncer de medula. Fiquei em tratamento de julho de 2012 a 20 de novembro fazendo quimioterapias semanais. No dia 21 de novembro fiz o transplante de medula autólogo,que foi um sucesso, com a pega da medula em 15 dias e com remissão total do mieloma. Hoje tenho que agradecer primeiramente a Deus por mais uma vez ter me ajudado a obter a cura. Pela equipe médica do Dr. Celso Arrais, que peço desculpas se me esquecer de alguns, Dr. André, Dr. Erik, Dr. Antonio (vascular) Dr. Batata. Aos enfermeiros, os quais eu os chamava de Anjos, o meu muito obrigado, vocês também foram muito importantes para minha recuperação. Enfim meu agradecimento aqueles que me ajudaram a estar aqui hoje podendo dar esse depoimento. Dr. Vergilius, Dr. Carlo Passerotti e a toda a equipe do Dr. Celso Arrais.Não poderia deixar de falar da importância e dedicação da minha mulher e meu filho, que foram muito importante nesse período todo das minhas doenças, me dando apoio e me encorajando. Sergio Carbone Mieloma Múltiplo
  • 1
  • 2

Certificados

Busca rápida


Importante!

Os conteúdos disponíveis neste portal são exclusivamente educacionais e informativos. Em hipótese nenhuma deve substituir as orientações médicas, a realização de exames e ou, tratamento. Em caso de dúvida consulte seu médico! O acesso a informação é um direito de todos.

 

Hospedagem Voluntária

hostgator