Menu
Conteúdo gratuito para pacientes de câncer e doenças do sangue, e seus familiares!

Boca em ordem

  

Imagem Sorriso
Saiba como evitar as doenças bucais mais comuns durante o tratamento do câncer

Saiba como evitar as doenças bucais mais comuns durante o tratamento do câncer

Por Tatiane Mota

O dito popular “todo cuidado é pouco” cai como uma luva para o tratamento do câncer. E isso inclui uma atenção toda especial à região bucal. O Comitê de Odontologia da Abrale, separou as principais complicações bucais que podem surgir durante o tratamento oncológico.

No tratamento com quimioterapia e radioterapia, a mucosite é um dos problemas mais temidos. Ela dá origem a feridas na cavidade oral e causa um intenso desconforto, devido às dores. A mucosite também é responsável por alterações funcionais, como o comprometimento da mastigação, deglutição e fala, além de propiciar maiores riscos para infecções locais. 

Elas também estão na categoria “muito preocupantes”. Já que têm o poder de comprometer o tratamento como um todo, retardando a terapêutica ideal, além de aumentar a permanência hospitalar e levar a complicações sistêmicas (isto é, colocar até a vida do paciente em risco).

A cárie é outra grande vilã. Ela pode surgir devido a ação direta da radioterapia ou pela agressão que este tratamento causa às glândulas salivares. A redução drástica da produção de saliva, impede que substâncias naturalmente presentes atuem contra as bactérias. E isso acaba favorecendo o aparecimento de infecções oportunistas, como as fúngicas e virais, extremamente perigosas ao paciente – embora tenham tratamento.

A perda dos dentes não costuma ser usual devido ao tratamento do câncer, porém, caso estas cáries e doenças periodontais – que comprometem os tecidos de suporte e sustentação dos dentes – não sejam tratadas, pode acontecer.

O que fazer, caso a caso

Mucosite

Os cuidados adequados com a higiene oral são fundamentais. É importante sempre fazer uso de escova de dente, preferencialmente com cerdas macias e cabeça pequena. O uso de um “bochecho” sem álcool ajuda na manutenção da boa higiene e o fio dental tem indicação cautelosa, dependendo de cada caso. Outros cuidados, como a hidratação labial e o gel para lubrificar a mucosa oral, também colaboram bastante. O laser é uma nova tecnologia que pode ser empregada na prevenção e no tratamento da mucosite.

Boca seca (xerostomia)

Em pacientes com ressecamento bucal leve, pode ser indicada ingestão de líquido várias vezes ao dia, além de mascar chicletes sem açúcar. Deve-se evitar alimentos ácidos e condimentados, umidificadores de ambiente, ar condicionado ou aquecedores e substâncias alcaloides, como a cafeína. O uso de hidratantes labiais é essencial. Em casos mais severos, a saliva artificial e medicamentos que aumentam o fluxo salivar também pode ser usados, mas somente com indicação médica.

Cáries

O tratamento das cáries pode ser feito com obturações, coroas e tratamento de canal. Idem para a cárie desenvolvida com a radioterapia. Para evita-las é essencial higienização bucal e idas periódicas ao dentista.

Prevenir antes de remediar

3 passos simples para ficar longe dos problemas bucais

1 O paciente deve fazer tratamento odontológico antes mesmo de começar a terapia para o câncer. A higienização bucal deve ser impecável

2 É importante o acompanhamento de um dentista especializado durante todo o tratamento

3 É fundamental seguir todas as orientações recomendadas pelo especialista

Procure o especialista certo!

Sim, há dentistas especializados no tratamento para pacientes com câncer. No Brasil, esta especialidade vem crescendo na última década e o serviço já pode ser encontrado em grandes universidades e centros de referência em Oncologia, incluindo os que atendem pelo SUS. Se notar algo diferente na boca, não deixe de falar com o seu cirurgião dentista! A Abrale também pode te ajudar pelo (11) 3149-5190 ou abrale@abrale.org.br

 

Deixe um comentário

  Receba um aviso sobre comentários nessa notícia  
Me avise quando