Menu
Conteúdo gratuito para pacientes de câncer e doenças do sangue, e seus familiares!

Como tomar remédios

  

Imagem Medicamentos
Pode parecer algo simples, mas há algumas regras para que o efeito do medicamento não seja prejudicado

Pode parecer algo simples, mas há algumas regras para que o efeito do medicamento não seja prejudicado

Se há algo muito usual na vida das pessoas é o ato de tomar remédios. E não falamos apenas dos pacientes de cânceres do sangue ou de qualquer outro tipo. Todo mundo fica doente em algum momento, precisa de suplementos ou até mesmo, no caso das mulheres, usa contraceptivos orais para evitar gravidez. O fato é que, seja qual for o objetivo, o medicamento precisa ser ingerido da forma correta para que tenha uma ação realmente eficaz. Para ajudar na missão de como desvendar isso, pedimos a colaboração de duas profissionais muito experientes no assunto: a hematologista Monika Conchon e a enfermeira Eloise Borriel Vieira, docente na Fundação Oswaldo Cruz e coordenadora do Comitê de Enfermagem da Abrale.

Com as dicas a seguir, podemos agir da maneira mais certa na hora de se medicar – mesmo que a gente nem suspeitasse que estava fazendo alguma coisa errada.

1 – É permitido tomar o remédio com leite ou outra bebida?

Nem todo medicamento pode ser tomado com qualquer líquido. Por exemplo, o Sulfato Ferroso não deve ser ingerido com leite e derivados, uma vez que diminuem a biodisponibilidade do ferro. O Mesilato de Imatinibe deve ser tomado apenas com água. Por isso, para não errar, a indicação é tomar sempre com água.

2 – Posso tomar a seco, sem nenhum líquido?

Não é errado, porém, não é o ideal. Além de ser desconfortável, a absorção pode ser iniciada no esôfago, que possui pH diferente do estômago, podendo levar a alterações na ação.

3 – Melhor tomar antes ou depois de comer (quando é solicitado que não seja tomado em jejum, claro)?

O ideal é depois de se alimentar, mas se for logo antes de começar a comer, não há problema.

4 – Há alguma comida ou bebida que possa intensificar positivamente o efeito de uma medicação? 

Algumas medicações ao serem tomadas com determinado alimento podem ter melhor absorção, como no caso da Ciclosporina quando ingerida junto com alimentos mais ácidos. Um outro exemplo é o da vitamina C, que melhora a absorção do Sulfato Ferroso quando ingeridos ao mesmo tempo.

5 – A comida ingerida junto com o remédio pode prejudicar o efeito?

Alguns alimentos podem, sim, causar alguns prejuízos, como acelerar o metabolismo hepático. É o que acontece com a fruta americana grapefruit, que não deve ser ingerida junto com determinadas medicações (como o Imatinibe). Outro exemplo importante são as bebidas alcoólicas, que podem, de forma muito perigosa, potencializar a ação de calmantes, levando a uma diminuição da atividade dos sistemas nervoso central, cardiovascular e respiratório.

6 – Preciso ter algum cuidado ao tomar mais de um remédio no mesmo dia e horário?

Sim. É interessante que se saiba se ocorrem interações medicamentosas – ou seja, se uma substância influencia na outra. Temos medicações que são melhor absorvidas em meio ácido. O Omeprazol, por exemplo, pode tirar essa acidez do estômago e prejudicar sua absorção. Há também o caso de alguns antibióticos, como a Amoxacilina, que podem reduzir a eficácia dos contraceptivos orais.

7 – Posso cortar um comprimido no meio para ficar mais fácil de engolir?

Depende do comprimido. Cápsulas não devem ser abertas. Os chamados comprimidos de liberação lenta também não. Eles têm um revestimento que for violado fará o remédio ser absorvido mais rapidamente. Por isso, a indicação geral é de que os comprimidos sejam ingeridos integralmente, salvo exceções em crianças ou idosos. Nesses casos, o paciente pode consultar o farmacêutico sobre qual medicamento poderá ser cortado, ou macerado, ou ainda diluído.

8 – Alguns remédios devem ser guardados em geladeira. Qual é o risco que corro se eu não seguir essa indicação?

Algumas substâncias precisam de ambientes frios porque podem sofrer instabilidade química em temperaturas superiores. O risco de não seguir a indicação é perder parte da ação do medicamento.

9 – Qual é a melhor forma de guardar os comprimidos?

Mantê-los em sua embalagem original, que foi pensada e desenhada para armazenar corretamente, preservando toda a sua integridade. Mas não há contraindicação para o uso de caixinhas separadoras de remédios.

10 – Mesmo com a receita médica, é preciso ler a bula?

Sim e sempre! Cada medicamento é diferente, e na bula estão todas as suas especificações e contraindicações. Lê-la é a melhor forma de não errar ao tomar um medicamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *