Menu
Conteúdo gratuito para pacientes de câncer e doenças do sangue, e seus familiares!

Febre amarela – Posso tomar a vacina?

Imagem Febre Amarela
Entenda como prevenir este vírus que tem assustado os brasileiros

Entenda como prevenir este vírus que tem assustado os brasileiros

Por Tatiane Mota

A febre amarela voltou a ser notícia, quando um surto da doença atingiu o interior de Minas Gerais e já causou mortes no início deste ano.

Em áreas florestais, o mosquito responsável por transmiti-la é o Haemagogus. Já no meio urbano, a transmissão se dá por meio do mosquito Aedes Aegypti, já tão conhecido pela dengue. Quando o mosquitinho pica, se a pessoa não estiver vacinada, ou se ainda não tiver contraído a febre amarela, apresentará uma grave infecção.

Assim que o vírus entra na corrente sanguínea, o indivíduo não necessariamente já apresentará sintomas. Mas com o passar dos dias, febre alta, calafrios, cansaço, dor de cabeça, dor muscular, náuseas e vômitos começam a surgir de maneira persistente. A forma mais grave da doença, embora rara, costuma aparecer após um breve período de bem-estar, quando podem ocorrer insuficiência hepática e renal, icterícia (olhos e pele amarelados), manifestações hemorrágicas e cansaço intenso.

É possível prevenir a doença tomando alguns cuidados básicos, como não deixar água parada em recipientes destampados, assim como usar repelente e roupas que tampem todo o corpo caso vá para alguma região com grande índice de casos. Mas é a vacina o fator de proteção maior. E aí vem a pergunta: estou em tratamento do câncer, posso ser vacinado contra a febre amarela? E a resposta é NÃO!

A vacina contra a febre amarela é feita com vírus vivos atenuados, que quando injetados não conseguem se espalhar no corpo, possibilitando que o sistema imunológico consiga destruí-los para criar anticorpos.

Mas as pessoas em tratamento do câncer ficam com o sistema imunológico enfraquecido e ao serem vacinadas, ainda que o vírus esteja atenuado (mais leve), ficam expostas ao vírus e suscetíveis aos problemas causados pela doença, já que o organismo não está apto a combatê-los.

Neste momento, o ideal é evitar locais que exijam esta vacina por serem mais propensos ao mosquito transmissor. Agora, se você é morador de uma das regiões mais afetadas, e está em tratamento oncológico, siga as orientações de prevenção e converse com seu médico! Somente ele poderá te indicar o caminho correto a seguir.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *