Menu
Conteúdo gratuito para pacientes de câncer e doenças do sangue, e seus familiares!

Tratamento humanizado, benefícios para todos

  

Shutterstock 1103094797
Valorizar o outro é passo importante na conquista de um atendimento satisfatório aos pacientes e equipe de saúde

Valorizar o outro é passo importante na conquista de um atendimento satisfatório aos pacientes e equipe de saúde

Por Natália Mancini

O tratamento humanizado vai muito além do “bom dia, como posso ajudar?”. Ele engloba toda a experiência do paciente e, claro, da equipe que irá atendê-lo. É, de forma bem simples, a troca que acontece por ambos os lados – seja de informação, de sentimentos e até mesmo de respeito.

De acordo com Kátia Cilene, coordenadora do Grupo de Trabalho de Humanização do Instituto Central do Hospital das Clínicas (GTH-ICHC), valorizar o ser humano e inserir a humanização na cultura organizacional da instituição são alguns dos passos mais importantes para que um tratamento humanizado seja oferecido.

“A humanização constitui um processo de cultura organizacional, de forma que fundamenta o respeito e a valorização à pessoa humana, e desenvolve ações de melhoria do atendimento ao paciente e das condições de trabalho dos profissionais”, diz ela.

Rosana Junqueira Morales, superintendente executiva da Arte Despertar, afirma que é preciso olhar todo o percurso que o paciente realiza dentro do hospital.  “O tratamento humanizado é olhar para o paciente e para as suas necessidades. Como ele é tratado na recepção, quanto tempo ele fica esperando para ser atendido. Também é preciso valorizar o profissional da saúde, que muitas vezes está em um ambiente de extremo estresse. A equipe de enfermagem, porque tem dois empregos e vários turnos, o médico porque atende em mais de um lugar. Eles estão sempre correndo e às vezes não conseguem olhar para si”.

Humanização também é política pública

A Política Nacional de Humanização (PNH) existe desde 2003 para efetivar os princípios do Sistema Único de Saúde no cotidiano das práticas de atenção e gestão, qualificando a saúde pública no Brasil e incentivando trocas solidárias entre gestores, trabalhadores e usuários. E esta política deve estar presente em todos os programas do SUS.

“Ela nos dá as diretrizes para a humanização na prática e vai muito além do atendimento médico-paciente. Serve para a saúde como um todo. Começa na gestão e é algo que, estrategicamente, o hospital tem que pensar”, diz Rosana Morales.

tratamento humanizado - câncer

Nos hospitais, sejam eles públicos ou privados, sempre existiu a preocupação em atender o paciente da melhor forma. A concretização veio de encontro com a era da experiência do paciente, que visa a satisfação do usuário, uma vez que estando satisfeito com o seu atendimento e a sua jornada, isso é

traduzido em maior lealdade, colaboradores mais engajados e até mesmo em melhores resultados econômicos para a instituição.

Dentro do ICHC, a comunicação é estimulada. “Queremos o envolvimento do paciente no seu tratamento, a melhoria nas orientações e a abertura para atuação de grupos de terapia complementares. O Grupo de Trabalho de Humanização  foi criado para facilitar, integrar e incentivar as ações de humanização na instituição, além de orientar e conduzir para que as diretrizes da PNH sejam implementados e cumpridas”, diz Kátia.

Tratamento personalizado

Enxergar o outro é entender que cada pessoa deve ser vista como um indivíduo único.

“Dois pacientes podem ter o mesmo tumor, com a mesma agressividade e as mesmas características, mas eles vão lidar de maneiras diferentes, vão sentir coisas diferentes, as evoluções vão ser diferentes, portanto é preciso ter esse olhar individual e um tratamento personalizado”, comentou Rosana.

Compreender o paciente é fundamental.

Hoje, algumas faculdades de Medicina já estão prestando mais atenção nesse assunto. Isso acontece porque  o curso costuma focar mais na parte técnica e nos tratamentos. Então, para que essa relação aconteça e seja mutuamente benéfica, o profissional tem que, por meio de um processo, desenvolver suas competências socioemocionais.

Para Rosana, esse desenvolvimento é extremamente significativo. “O médico e o profissional de saúde estão constantemente em um ambiente de estresse, tanto pelo assunto que tratam, quanto pela quantidade de trabalho. Então se você não tem esses momentos de parada para olhar para o desenvolvimento pessoal, como é que estará preparado para atender o outro?”, questiona.

tratamento humanizado - câncerTratamento humanizado sem segredos

Pois é, ainda não foi criada uma fórmula para alcançar a reflexão e facilitar o desenvolvimento de um tratamento humanizado. Estas questões precisam ser trabalhadas constantemente.

Primeiramente, é preciso trabalhar o autoconhecimento: saber identificar quem você é e o que quer para si. Também é essencial saber perceber o outro. Se colocar no lugar e começar a olhar para o lado, tentando entender a situação. A comunicação verbal, e a não verbal, são parte da construção de um bom relacionamento.

Falta de tempo e condições mais simples, sem luxos, não são desculpa para um atendimento ruim. “É possível, em 15 minutos de consulta, ser assertivo. Se o profissional estiver olhando para ele mesmo, e escutando com atenção o paciente, o atendimento será completo. É preciso querer”, finaliza Rosana.

Para saber mais sobre o tratamento humanizado, clique aqui.

Deixe um comentário

  Receba um aviso sobre comentários nessa notícia  
Me avise quando